pucon-2
Aventura Comida Dica Econômica Hospedagem Neve

Pucón – Você vai se apaixonar

Nunca tínhamos ouvido falar dessa cidadezinha muito menos conhecido alguém que já estivesse ido para lá, ficamos sabendo através de uma Brasileira que mora em Santiago. Para quem ainda não conhece, aqui iremos dar vários motivos para você querer acrescentar Pucón na sua próxima ida ao Chile.

Como chegar

Localizada a 780km ao sul de Santiago, a melhor maneira de chegar até ela é de avião, mas existem ônibus que fazem essa viagem para lá, se você quiser economizar é uma boa opção mas se prepare para uma noite dentro do ônibus, nós preferimos ir de avião mesmo. Chegamos primeiro em Santiago e ficamos uns dias na Capital, depois partimos rumo a Temuco, que é a cidade com aeroporto mais próxima de Pucón. Contratamos um transfer na hora mesmo e partimos em direção ao nosso destino final, Pucón.

A cidade de Pucón tem praticamente uma rua principal, que é onde tudo acontece. Lá estão as agências, lojas de câmbio, restaurantes, bares, lojas e alguns dos hotéis e Hostel. O que mais nos chamou a atenção assim que chegamos na cidade, foi um semáforo indicando o grau de atividade do vulcão Villarica – Cartão postal da cidade- e para nossa sorte ele ficou o tempo todo no verdinho.

Assim que deixamos nossas coisas no hotel, corremos para tentar ver o Villarica, que pode ser visto praticamente de toda a cidade, mas para nossa tristeza ele estava todo encoberto por nuvens, e como iríamos ficar poucos dias na cidade, ficamos com aquela sensação de será que vamos conseguir vê-lo. Mas de uma hora para outra o tempo mudou e lá estava ele todo imponente e nós boquiabertos com tamanha beleza, foi a primeira vez que vimos um vulcão, que ainda está ativo por sinal. Foi demais!!

img_8396

 

O que fazer

Aproveitamos essas primeiras horas na cidade para procurar uma agência para fechar os nossos passeios. Um dos mais esperados por nós, a subida no vulcão, tinha acabado de ser encerrado por conta dos ventos e do clima e estava sem previsão para novas subidas. Confessamos que ficamos um pouco perdidos, pois esse era o nosso principal objetivo na ida a Pucón, ai olhamos um pro outro e dissemos e agora? Bom foi ai que começamos a descobrir todas as maravilhas que a cidade tinha para nos oferecer. Não tínhamos ideia da quantidade de coisas que dava para fazer e queríamos fazer tudo. Pegamos então indicação de agência no nosso hotel e lá fomos nós fechar os passeios.

Os passeios que optamos fazer com agência, fechamos pela Andesmar e recomendamos muito, eles são bem sérios e profissionais, fizemos até amizade com o José, um simpático chileno que se aventurava no português e que fazia questão de nos ajudar e indicar os melhores passeios.

No lugar da tão esperada subida ao vulcão, trocamos por esquiar nele, como não conseguiríamos chegar caminhando até seu topo como o esperado, pegamos uma aula de snowboard e tivemos uma experiência única.

Além do vulcão fizemos um rafitng pelo Rio Trancura que foi pura aventura, contamos com mais detalhes nesse post aqui.

Outros passeios que indicamos é conhecer o Ojos de Caburga, Playa Grande e Parque Nacional Huerquehue.

Chegando na cidade, nossa dica é vá até ao posto de informações turísticas que fica na Av. Bernado O´Higgins e pegue um mapa com os principais pontos para conhecer na redondeza, assim se quiser alugar um carro e sair por conta fica bem mais fácil. Fizemos isso para conhecer as Termas Geométricas e contamos nossa experiência nesse post aqui.

No final da Avenida O´Higgins em Pucón, fica o La Poza que é uma pequena praça, de onde saem alguns passeios de barco pelo Lago Villarrica. Na entrada dessa praça tem duas estátuas dos índios Mapuches que habitavam essa região antigamente. O lugar é uma graça para quem quer ficar contemplando o vulcão Villarrica, uma ótima opção para fazer nos intervalos entre os passeios durante o dia, já que é possível chegar a pé por se bem pertinho do centro. Tá de bobeira na cidade, vai pra lá e relaxa, pode ter certeza que se o tempo estiver aberto, você garantirá excelentes fotos.

pucon-rafting
pucon
pucon-vulcao-vilarica
pucon-termas1

 

 


Vale lembrar que em Pucón assim como em todo o Chile, é proibido ingerir bebida alcoólica na rua, então fique atento para não dar bola fora por lá.


 

Onde comer

Os bares e restaurantes da cidade são bem agitadinhos e a comida é sempre farta e muito gostosa. No dia que chegamos estávamos morrendo de fome e entramos em um restaurante e pedimos um sanduíche – GIGANTESCO- , dava até para dividir por duas pessoas mas como não sabíamos pedimos um para cada e acabamos deixando boa parte.

img_8360
img_8513
img_8629

Se você quer economizar na hora de comer, a dica é comprar algumas coisas no mercado local que fica na avenida principal e preparar alguns lanches para levar nos passeios, além de comprar as bebidas e garantir os excelentes vinhos Chilenos com ótimos preços.

Um dos lugares que jantamos e indicamos é o Trawen  que é bem gostoso e o Fiorentini onde pedimos uma pizza de salmão defumado que estava deliciosa, uma excelente pedida. Para quem não sabe, no Chile se encontram os melhores salmões então é pedida certa na maioria dos restaurantes.

Uma opção rápida para doces e salgados é a Confeitaria Suiza também na Av. O´Higging,  vale a pena conferir.

 

Onde ficar

A cidade oferece várias opções de hospedagem, das mais sofisticadas como o Hotel Antumalal até hostels com preços mais camaradas. Ficamos no Hostel Lounge Brasil mas achamos que deixou um pouco a desejar, tínhamos visto boas avaliações do local e as fotos do site era bem convidativas. O hotel até tem seu charme mas na parte de calefação deixa e muito a desejar. No quarto estava disponível um aquecedor a diesel que deixava um cheiro bem forte e que não funcionava direito e no banheiro não havia calefação, ai já viu a dificuldade de usar em pleno inverno. O café da manhã era servido na mesa e era bem saboroso. Jantamos uma das noites no hotel e pedimos uma pizza e estava bem gostosa e com um preço justo.

Tivemos dias inesquecíveis nessa cidadezinha que nos recebeu de braços abertos. E com certeza voltaríamos para nos aventurar no trekking vulcão acima.


Uma dica para quem vai no final da temporada de neve, assim como nós fomos é ficar de olho nas promoções de roupas de inverno, compramos calças da The North Face e casacos com preços incríveis. Se você costuma viajar para lugares de muito frio, vale a pena o investimento. Mas quem não quiser gastar muito com esse tipo de traje, nossa dica é ou alugar para não passar frio e conseguir curtir a neve ou então na cidade tem várias lojinhas com roupas de neve usada para vender com preços bem convidativos, é só saber escolher que no final acaba valendo mais a pena do que alugar.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *